9 de agosto de 2017

REUNIÃO DE PAIS E PROFESSORES


INTERAR PARA INTEGRAR

            Conscientes da importância da parceria entre a Escola e a Família, a equipe do CIEP 113 - PROFESSOR WALDICK PEREIRA realizou a Reunião de responsáveis e professores tendo como objetivos principais tratar da questão do aproveitamento e da frequência dos alunos e da importância da parceria dos pais no sucesso escolar dos alunos.
             Na ocasião, após assistirem ao Vídeo Pais na Educação Escolar, os pais também foram informados sobre os Simulados preparatórios para a Prova Brasil (Turmas do 9º e do 3º ano) e receberam a Agenda do 3º bimestre.


            Encerrada a sessão de vídeo, houve o momento para a reflexões, questionamentos, críticas, elogios por parte de pais e responsáveis sobre o papel da família e da escola para que o aluno alcance o sucesso. 
             Após esse momento, os responsáveis receberam os Boletins dos alunos e tiveram a oportunidade, juntamente com os professores de fazerem a análise dos resultados de seus filhos.
             No encerramento, todos os presentes receberam uma porção do sabonete caseiro produzido pelos alunos com o óleo de cozinha reciclado.
 
 
 
 
 
 
 
 

8 de agosto de 2017

SIMULADO ENEM 2017



SIMULADO ENEM 2017

Faltam apenas 03 meses para o ENEM. 
Vamos participar do Simulado Online?

Clique na figura e faça o seu simulado!


Clique aqui e faça o seu simulado


Simulado Enem Terra


5 de agosto de 2017

REUNIÃO PEDAGÓGICA E PLANEJAMENTO


REUNIÃO PEDAGÓGICA E PLANEJAMENTO

       No dia 05 de agosto, professores e a direção realizaram a Reunião para o Planejamento do segundo semestre. 
           Na ocasião, os professores realizaram uma análise do planejamento das ações para o período até o final do ano letivo.
         Como parte da pauta, os professores ainda tomaram conhecimento das Resoluções 5531/07, 5532/07 e 5533/07.
          Ao final, os professores participaram da Formação Continuada em Serviço através de uma Oficina de Letramento que tinha como objetivo aprofundar os conhecimentos sobre as Matrizes de Referência de Língua Portuguesa e Matemática e sobre a Prova Brasil, que será realizada neste ano de 2017 para as turmas de 9º e 3º anos.

 
 
 
 
 
 
 
 
 

11 de julho de 2017

ARRAIÁ DO WALDICK


Alunos e equipe do CIEP 113 - PROFESSOR WALDICK PEREIRA participam do Arraiá do Waldick. Tudo com muita diversão e comida gostosa.
 








SIMULADO ENEM 2017 - 1° SEMESTRE_GABARITO




CIEP 113 – PROFESSOR WALDICK PEREIRA – SIMULADO ENEM 2017 – 1º SEMESTRE 2017

QUESTÃO 01: Leia a tira a seguir. 
  Ao analisar a variedade linguística empregada pelo emissor em cada um dos quadrinhos e a falta de entendimento do seu receptor, pode-se afirmar que 
(A)  o emissor emprega, em todos os quadrinhos, a norma padrão da Língua Portuguesa.
(B)  o interlocutor demonstra alto nível de escolaridade, dominando a norma padrão.
(C)   a comunicação não foi estabelecida entre o emissor e o receptor nos quadrinhos.
(D)   a mensagem direcionada ao receptor está mal estruturada, provocando ruídos na comunicação.
(E)  a adequação da fala, no último quadrinho, permite o estabelecimento da comunicação.

Leia o texto:
Deixe-me sozinho
Porque assim
Eu viverei em paz
Quero que sejas bem feliz
Junto do seu novo rapaz...
BARROS, Renato. Disponível em http://www.mpbnet.com.br  - Acesso em: ago. 2013
 QUESTÃO 02: Na composição de Renato Barros, gravada por Adriana Calcanhoto, há uma inadequação quanto ao uso do pronome. De acordo com a norma padrão da língua, isso se justifica, pois
(A) gera a omissão do sujeito marcado pela segunda pessoa.          
(B) gera a inadequação na concordância com o verbo.
(C) contraria as regras de colocação pronominal.
(D) contraria a uniformidade na forma de tratamento.
(E) apresenta o oblíquo marcando a função de sujeito.

Leia o texto abaixo:

QUESTÃO 03: Observando as falas das personagens, analise o emprego do pronome se e o sentido que adquire no contexto. No contexto da narrativa, é correto afirmar que o pronome se,  
(A)   em I, indica reflexividade e equivale a "a si mesmas".   
(B)   em II, indica reciprocidade e equivale a "a si mesma".   
(C)   em III, indica reciprocidade e equivale a "uma às outras".   
(D)   em I e III, indica reciprocidade e equivale a "uma às outras".   
(E)   em II e III, indica reflexividade e equivale a "a si mesma" e "a si mesmas", respectivamente.   

Leia atentamente o texto:
Esta gramática, pois que gramática implica no seu conceito o conjunto de normas com que torna consciente a organização de uma ou mais falas, esta gramática parece estar em contradição com o meu sentimento. É certo que não tive jamais a pretensão de criar a Fala Brasileira. Não tem contradição. Só quis mostrar que o meu trabalho não foi leviano, foi sério. Se cada um fizer também das observações e estudos pessoais a sua gramatiquinha, muito que isso facilitará pra daqui a uns cinquenta anos se salientar normas gerais, não só da fala oral transitória e vaga, porém da expressão literária impressa, isto é, da estilização erudita da linguagem oral. Essa estilização é que determina a cultura civilizada sob o ponto de vista expressivo. 

ANDRADE, Mário. Apud PINTO, E. P. A gramatiquinha de Mário de Andrade: texto e contexto.  São Paulo: Duas Cidades: Secretaria de Estado da Cultura, 1990.

QUESTÃO 04: O fragmento é baseado nos originais de Mário de Andrade destinados à elaboração da sua Gramatiquinha. Muitos rascunhos do autor foram compilados, com base nos quais depreende-se do pensamento de Mário de Andrade que ele 
(A) reconhece a importância do registro do português do Brasil ao buscar sistematizar a língua na sua expressão oral e literária.
(B) dá preferência à linguagem poética ao caracterizá-la como estilização erudita da linguagem oral.
(C)   tem pretensão de representar uma linguagem próxima do falar, instigando uma revolução linguística.
(D)   reflete a respeito dos métodos de elaboração das gramáticas, sugerindo que cada um se dedique a estudos pessoas, tornando o processo menos sério.
(E) demonstra estar de acordo com os ideais da gramática normativa e os utiliza na composição de seus poemas.
 QUESTÃO 05: Em alguns contextos, a diferença de posição de uma palavra ou grupo de palavras na frase altera o sentido da mensagem; em outros contextos, o sentido não é alterado. A frase cujo sentido foi alterado pela mudança de posição de uma palavra é
(A)“...e as ameaças ao sucesso e ao bolso são inúmeras.” / ... e são inúmeras as ameaças ao sucesso e ao bolso.
(B) “Os avanços tecnológicos determinam mudanças radicais na carreira profissional.” / Os avanços tecnológicos determinam radicais mudanças na carreira profissional. 
(C) “Em momento algum da história da humanidade o provérbio “tempo é dinheiro” ganhou tanta expressão...” / Em algum momento da história da humanidade o provérbio “tempo é dinheiro” ganhou tanta expressão...
(D) “Pessoas sobrecarregadas de trabalho e responsabilidades sempre se queixam...” / Pessoas sobrecarregadas de trabalho e responsabilidades se queixam sempre...
(E) “A essa altura, o estresse negativo já deve ter-se instalado.” / O estresse negativo já deve ter-se instalado a essa altura. 
 QUESTÃO 06: O trecho a seguir faz parte de uma matéria sobre erros de português cometidos inclusive por jornalistas e foi extraído 
O empresário moderno não demite mais, faz um "downsizin", ou redimensionamento para baixo, em sua empresa. O empregado pode dizer em casa que não perdeu o emprego, foi "downsizeado", e ainda impressionar os vizinhos. 
(VERISSIMO, Luis Fernando. O Estado de S. Paulo)
A partir da leitura do texto, pode-se dizer que o autor 
(A)   divulga o emprego de palavras estrangeiras. 
(B)   ironiza a substituição de palavras em português por palavras estrangeiras. 
(C)   explica que os patrões devem falar de modo incompreensível. 
(D)   critica os empregados que usam palavras estrangeiras. 
(E)   não se posiciona quanto ao uso cotidiano dos estrangeirismos na língua portuguesa.


 Labaredas nas trevas Fragmentos do diário secreto de Teodor Konrad Nalecz Korzeniowski
20 DE JULHO [1912]
 Peter Sumerville pede-me que escreva um artigo sobre Crane. Envio-lhe uma carta: “Acredite-me, prezado senhor, nenhum jornal ou revista se interessaria por qualquer coisa que eu, ou outra pessoa, escrevesse sobre Stephen Crane. Ririam da sugestão. [...] Dificilmente encontro alguém, agora, que saiba quem é Stephen Crane ou lembre-se de algo dele. Para os jovens escritores que estão surgindo ele simplesmente não existe.”

20 DE DEZEMBRO [1919]
 Muito peixe foi embrulhado pelas folhas de jornal. Sou reconhecido como o maior escritor vivo da língua inglesa. Já se passaram dezenove anos desde que Crane morreu, mas eu não o esqueço. E parece que outros também não. The London Mercury resolveu celebrar os vinte e cinco anos de publicação de um livro que, segundo eles, foi “um fenômeno hoje esquecido” e me pediram um artigo.

FONSECA, R. Romance negro e outras histórias. São Paulo: Companhia das Letras, 1992 (fragmento).

QUESTÃO 07: Na construção de textos literários, os autores recorrem com frequência a expressões metafóricas. Ao empregar o enunciado metafórico “Muito peixe foi embrulhado pelas folhas de jornal”, pretendeu-se estabelecer, entre os dois fragmentos do texto em questão, uma relação semântica de
(A) causalidade, segundo a qual se relacionam as partes de um texto, em que uma contém a causa e a outra, a consequência.
(B) temporalidade, segundo a qual se articulam as partes de um texto, situando no tempo o que é relatado nas partes em questão.
(C)   condicionalidade, segundo a qual se combinam duas partes de um texto, em que uma resulta ou depende de circunstâncias apresentadas na outra.
(D)   adversidade, segundo a qual se articulam duas partes de um texto em que uma apresenta uma orientação argumentativa distinta e oposta à outra.
(E) finalidade, segundo a qual se articulam duas partes de um texto em que uma apresenta o meio, por exemplo, para uma ação e a outra, o desfecho da mesma.  
Não tem tradução
Lá no morro, se eu fizer uma falseta
A Risoleta desiste logo do francês e do inglês
A gíria que o nosso morro criou
Bem cedo a cidade aceitou e usou
[...]
Essa gente hoje em dia que tem mania de [exibição           
Não entende que o samba não tem tradução no  
[idioma francês
Tudo aquilo que o malandro pronuncia
Com voz macia é brasileiro, já passou de português
Amor lá no morro é amor pra chuchu
As rimas do samba não são I love you
E esse negócio de alô, alô boy e alô Johnny Só pode ser conversa de telefone
 ROSA, N. In: SOBRAL, João J. V. A tradução dos bambas. Revista Língua Portuguesa. Ano 4, no 54. São Paulo: Segmento, abr. 2010 (fragmento).

QUESTÃO 08: As canções de Noel Rosa, compositor brasileiro de Vila Isabel, apesar de revelarem uma aguçada preocupação do artista com seu tempo e com as mudanças político-culturais no Brasil, no início dos anos 1920, ainda são modernas. Nesse fragmento do samba, Não tem tradução, por meio do recurso da metalinguagem, o poeta propõe 
(A) incorporar novos costumes de origem francesa e americana, juntamente com vocábulos estrangeiros.
(B) respeitar e preservar o português padrão como forma de fortalecimento do idioma do Brasil.
(C)   mudar os valores sociais vigentes à época, com o advento do novo e quente ritmo da música popular brasileira.
(D)   valorizar a fala popular brasileira como patrimônio linguístico e forma legítima de identidade nacional.
(E) ironizar a malandragem carioca, aculturada pela invasão de valores étnicos de sociedades mais desenvolvidas. 
QUESTÃO 09: Os provérbios constituem um produto da sabedoria popular e, em geral, pretendem transmitir um ensinamento. A alternativa em que os dois provérbios remetem a ensinamentos semelhantes é 
(A)“Quem diz o que quer, ouve o que não quer” e “Quem ama o feio, bonito lhe parece”.
(B)“Devagar se vai ao longe” e “De grão em grão, a galinha enche o papo”.
(C)   “Mais vale um pássaro na mão do que dois voando” e “Não se deve atirar pérolas aos porcos”.
(D)   “Quem casa quer casa” e “Santo de casa não faz milagre”.
(E)“Quem com ferro fere, com ferro será ferido” e “Casa de ferreiro, espeto de pau”.

Leia o texto:
Estamos num momento de superação do binômio centro/periferia, pois os intercâmbios sociais levam ao cruzamento de barreiras geoculturais. Os mapeamentos nos informam que a comunicação urbana desses novos atores culturais transbordam as atividades locais. As práticas de periferia deixam seus signos em vários trajetos e percursos da cidade, operando com interações artísticas questionadoras do establishment. Por exemplo, os grafites enunciam um modo de comunicação com interações de grupos distintos, disputando territórios físicos e simbólicos, ou mesmo construindo relações de solidariedade com outros pedaços” urbanos, evidenciando uma dinâmica viva no fazer cultural.

Fonte: SOUZA, Valmir de. “Globalização e periferia. In: Le Monde Diplomatique Brasil, julho/2011. Disponível em: http://www.diplomatique.org.br/artigo.php?id=960. Acesso em 10/2/ 2012 (fragmento).

QUESTÃO 10: O autor defende a ideia de que o grafite
(A) é arte típica de periferia e deveria por isso restringir-se a esse espaço.
(B) ilustra como as barreiras geoculturais vêm sendo superadas na cidade.
(C) causa problemas como as disputas por territórios físicos e simbólicos.
(D) é uma forma de comunicação entre grupos segregados e periféricos.
(E) mostra como uma prática artística pode confirmar o establishment.

Leia o texto abaixo:
QUESTÃO 11: O texto procura criar em seus leitores uma noção de diferença que
(A) é negativa, por reforçar que as mulheres ainda sofrem discriminação no trabalho.
(B) se desconstrói, ao indicar que não haja mais diferenças entre homens e mulheres.
(C) é positiva, por sugerir a especificidade dos gêneros e a igualdade entre eles no trabalho.
(D) é idealista, por ignorar a realidade de exclusão em que ainda vive parte das trabalhadoras.
(E) se anula, por desconsiderar a crescente supremacia feminina no mercado de trabalho.
 QUESTÃO 12: (ENEM-2001) O texto abaixo reproduz parte de um diálogo entre dois personagens de um romance. — Quer dizer que a Idade Média durou dez horas? - Perguntou Sofia. — Se cada hora valer cem anos, então sua conta está certa. Podemos imaginar que Jesus nasceu à meia noite, que Paulo saiu em peregrinação missionária pouco antes da meia-noite e meia e morreu quinze minutos depois, em Roma. Até as três da manhã a fé cristã foi mais ou menos proibida. (...) Até as dez horas as escolas dos mosteiros detiveram o monopólio da educação. Entre dez e onze horas são fundadas as primeiras universidades. Adaptado de Gaarder, Jostein. O Mundo de Sofia, Romance da História da Filosofia. São Paulo: Cia das Letras, 1997.
O ano de 476 d.C, época da queda do Império Romano do Ocidente, tem sido usado como marco para o início da Idade Média. De acordo com a escala de tempo apresentada no texto, que considera como ponto de partida o início da Era Cristã, pode-se afirmar que
(A) as Grandes Navegações tiveram início por volta das quinze horas.
(B) a Idade Moderna teve início um pouco antes das dez horas.
(C) o Cristianismo começou a ser propagado na Europa no início da idade Média.
(D) as peregrinações do apóstolo Paulo ocorreram após os primeiros 150 anos da Era Cristã.
(E) os mosteiros perderam o monopólio da educação no final da Idade Média.

QUESTÃO 13: (ENEM-2008) A Peste Negra dizimou boa parte da população europeia, com efeitos sobre o crescimento das cidades. O conhecimento médico da época não foi suficiente para conter a epidemia. Na cidade de Siena, Agnolo di Tura escreveu: “As pessoas morriam às centenas, de dia e de noite, e todas eram jogadas em fossas cobertas com terra e, assim que essas fossas ficavam cheias, cavavam-se mais. E eu enterrei meus cinco filhos com minhas próprias mãos (...) E morreram tantos que todos achavam que era o fim do mundo.” Agnolo di Tura. The Plague in Siena: An Italian Chronicle. In: William M. Bowsky. The Black Death: a turning point in history? New York: HRW, 1971 (com adaptações).
O testemunho de Agnolo di Tura, um sobrevivente da Peste Negra, que assolou a Europa durante parte do século XIV, sugere que
(A) O flagelo da Peste Negra foi associado ao fim dos tempos.
(B) a Igreja buscou conter o medo da morte, disseminando o saber médico.
(C) a impressão causada pelo número de mortos não foi tão forte, porque as vítimas eram poucas e identificáveis.
(D) houve substancial queda demográfica na Europa no período anterior à Peste.
(E) o drama vivido pelos sobreviventes era causado pelo fato de os cadáveres não serem enterrados.

QUESTÃO 14: (ENEM-2001) - “... Um operário desenrola o arame, o outro o endireita, um terceiro corta, um quarto o afia nas pontas para a colocação da cabeça do alfinete; para fazer a cabeça do alfinete requerem-se 3 ou 4 operações diferentes; ...” 
SMITH, Adam. A Riqueza das Nações. Investigação sobre a sua Natureza e suas Causas. Vol. I. São Paulo: Nova Cultural, 1985.
I. Ambos retratam a intensa divisão do trabalho, à qual são submetidos os operários.
II. O texto refere-se à produção informatizada e o quadrinho, à produção artesanal.
III. Ambos contêm a ideia de que o produto da atividade industrial não depende do conhecimento de todo o processo por parte do operário. Dentre essas afirmações, apenas
(A) I está correta.                                (B) II está correta.                               (C) III está correta.
(D) I e II estão corretas.                      (E) I e III estão corretas.
QUESTÃO 15: (ENEM-2001) O texto foi extraído da peça Tróilo e Créssida de William Shakespeare, escrita, provavelmente, em 1601. "Os próprios céus, os planetas, e este centro reconhecem graus, prioridade, classe, constância, marcha, distância, estação, forma, função e regularidade, sempre iguais; eis por que o glorioso astro Sol está em nobre eminência entronizado e centralizado no meio dos outros, e o seu olhar benfazejo corrige os maus aspectos dos planetas malfazejos, e, qual rei que comanda, ordena sem entraves aos bons e aos maus." (personagem Ulysses, Ato l, cena III). Shakespeare, W. Tróilo e Créssida: Porto: Lello & Irmão, 1948.)
A descrição feita pelo dramaturgo renascentista inglês se aproxima da teoria
(A) geocêntrica do grego Claudius Ptolomeu.                 
(B) da reflexão da luz do árabe Alhazen.
(C) heliocêntrica do polonês Nicolau Copérnico.      
(D) da rotação terrestre do italiano Galileu Galilei.
(E) da gravitação universal do inglês Isaac Newton.

QUESTÃO 16: (Enem 2015) Um estudante, precisando instalar um computador, um monitor e uma lâmpada em seu quarto, verificou que precisaria fazer a instalação de duas tomadas e um interruptor na rede elétrica. Decidiu esboçar com antecedência o esquema elétrico.
“O circuito deve ser tal que as tomadas e a lâmpada devem estar submetidas à tensão nominal da rede elétrica e a lâmpada deve poder ser ligada ou desligada por um interruptor sem afetar os outros dispositivos” — pensou.
Símbolos adotados:
Qual dos circuitos esboçados atende às exigências?
(A)                      (B)                           (C)                                (D)                        (E)    
 QUESTÃO 17: (Enem 2011) Um curioso estudante, empolgado com a aula de circuito elétrico que assistiu na escola, resolve desmontar sua lanterna. Utilizando-se da lâmpada e da pilha, retiradas do equipamento, e de um fio com as extremidades descascadas, faz as seguintes ligações com a intenção de acender a lâmpada: 
Tendo por base os esquemas mostrados, em quais casos a lâmpada acendeu?
(A) (1), (3), (6)         (B) (3), (4), (5)         (C) (1), (3), (5)      (D) (1), (3), (7)      (E) (1), (2), (5)         
   
TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:O diagrama a seguir representa a energia solar que atinge a Terra e sua utilização na geração de eletricidade. A energia solar é responsável pela manutenção do ciclo da água, pela movimentação do ar, e pelo ciclo do carbono que ocorre através da fotossíntese dos vegetais, da decomposição e da respiração dos seres vivos, além da formação de combustíveis fósseis. 
QUESTÃO 18: (Enem 1999) De acordo com o diagrama, a humanidade aproveita, na forma de energia elétrica, uma fração da energia recebida como radiação solar, corresponde à:  
(A) 4 × 10-9            (B) 2,5 × 10-6              (C) 4 × 10-4           (D) 2,5 × 10-3         (E) 4 × 10-2   


   QUESTÃO 19: (Enem 2010) A energia elétrica consumida nas residências é medida, em quilowatt-hora, por meio de um relógio medidor de consumo. Nesse relógio, da direita para esquerda, tem-se o ponteiro da unidade, da dezena, da centena e do milhar. Se um ponteiro estiver entre dois números, considera-se o último número ultrapassado pelo ponteiro. Suponha que as medidas indicadas nos esquemas seguintes tenham sido feitas em uma cidade em que o preço do quilowatt-hora fosse de R$ 0,20. 

O valor a ser pago pelo consumo de energia elétrica registrado seria de
(A) R$ 41,80.             (B) R$ 42.00.            (C) R$ 43.00.              (D) R$ 43,80.        (E) R$ 44,00.
QUESTÃO 20: (Enem 2010) Todo carro possui uma caixa de fusíveis, que são utilizados para proteção dos circuitos elétricos. Os fusíveis são constituídos de um material de baixo ponto de fusão, como o estanho, por exemplo, e se fundem quando percorridos por uma corrente elétrica igual ou maior do que aquela que são capazes de suportar. O quadro a seguir mostra uma série de fusíveis e os valores de corrente por eles suportados.
Fusível
Corrente Elétrica (A)
Azul
1,5
Amarelo
2,5
Laranja
5,0
Preto
7,5
Vermelho
10,0

Um farol usa uma lâmpada de gás halogênio de 55 W de potência que opera com 36 V. Os dois faróis são ligados separadamente, com um fusível para cada um, mas, após um mau funcionamento, o motorista passou a conectá-los em paralelo, usando apenas um fusível. Dessa forma, admitindo-se que a fiação suporte a carga dos dois faróis, o menor valor de fusível adequado para proteção desse novo circuito é o

(A) azul.                      (B) preto.                 (C) laranja.             (D) amarelo.            (E) vermelho.   

QUESTÃO 21: Um sinalizador de trânsito tem o formato de um cone circular reto. O sinalizador precisa ser revestido externamente com adesivo fluorescente, desde sua base (base do cone) até a metade de sua altura, para sinalização noturna. O responsável pela colocação do adesivo precisa fazer o corte do material de maneira que a forma do adesivo corresponda à parte da superfície lateral a ser revestida.

Qual deverá ser a forma do adesivo?
(A)                             (B)                             (C)                            (D)                        (E)


QUESTÃO 22: Uma mãe recorreu à bula para verificar a dosagem de um remédio que precisava dar a seu filho. Na bula, recomendava-se a seguinte dosagem: 5 gotas para cada 2 kg de massa corporal a cada 8 horas. Se a mãe ministrou corretamente 30 gotas do remédio a seu filho a cada 8 horas, então a massa corporal dele é de
(A) 12 kg                     (B) 16 kg                     (C) 24 kg                     (D) 36 kg                     (E) 75 kg

QUESTÃO 23: O gráfico abaixo representa a elevação de temperatura da água em função do tempo ao se colocar uma panela com uma barra de gelo sobre a chama de um fogão. 
Analisando o gráfico, podemos afirmar que
(A) o bloco de gelo levou 12 minutos para derreter e atingir 100 graus.
(B) o bloco de gelo levou 10 minutos para derreter e atingir 10 graus.
(C) a temperatura subiu constantemente até atingir 100 graus.
(D) a temperatura ficou constante por 6 minutos ao atingir zero grau.
(E) a temperatura oscilou por 8 minutos antes de subir até 100 graus.


QUESTÃO 24: Uma empresa lançou um produto em dois tamanhos de embalagem e peso. Uma com 750 g ao preço de R$ 9,00 e outra com 300 g do mesmo produto com valor de R$ 5,80. A embalagem maior utiliza 15% a menos de papelão que duas das menores. Além da economia para o consumidor, na compra de 1,5 kg desse produto na embalagem maior a economia de papelão, em termos percentuais, é de:
(A) 30%.                      (B) 32%.                    (C) 45%.                   (D) 47%.                     (E) 52%.

QUESTÃO 25: Para embalar certo produto serão utilizadas latas cilíndricas de alumínio. A superfície lateral da lata só poderá ser confeccionada com placas de alumínio nas dimensões 0,4 m x 0,6 m ou 0,3 m x 0,8 m. Por medida
de economia, a empresa vai adotar a placa que forneça a menor superfície total na lata. Adotando p = 3, a área
total dessa superfície, em m², é:
(A) 0,015.                    (B) 0,24.                     (C) 0,255.                   (D) 2,4.                  (E) 2,55.
 QUESTÃO 26: O Iluminismo libertou não só a razão mas também o seu oposto: ajudou a criar uma nova onda de sentimentalismo que iria durar quase um século e que se chamaria Romantismo. O racionalista proclamara a natureza como origem primeira da razão, enquanto o romântico a cultuava como ilimitada, selvagem e em eterna mudança, sublime e pitoresca.
Fonte: JANSON, H.W. e JANSON, Anthony F. Iniciação à História da Arte. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1996, p. 309. Trad. Jefferson Luiz Camargo (adaptado) 

O Viajante sobre o Mar de Névoa, Caspar David Friedrich
No fim do século XVIII e durante o século XIX, os pintores observam na natureza a expressão das emoções humanas. Há uma relação desproporcional entre a significação do indivíduo e a força da natureza. Com base nessa ideia, no excerto apresentado acima e em seus conhecimentos sobre o Romantismo, identifique a obra que pertence à pintura romântica.
 
QUESTÃO 27: Compare as duas gravuras:
Um elemento de distinção entre elas, responsável pelo surgimento de uma arte tipicamente nova, expressa-se por meio da
(A) ruptura com a temática religiosa, característica do período medieval
(B) rejeição ao racionalismo, dando destaque ao sentimento místico
(C) valorização do hedonismo, como forma de cultuar a perfeição
(D) introdução do naturalismo, elemento inédito nas artes até então
(E) retomada do paganismo, traço marcante nas artes plásticas

  
 
QUESTÃO 28: (UERJ 2011-Adaptada) Pode-se definir “metalinguagem” como a linguagem que comenta a própria linguagem, fenômeno presente na literatura e nas artes em geral. 


O quadro A perspicácia, do belga René Magritte, é um exemplo de metalinguagem porque:
(A) mostra o pintor no momento da criação.
(B) destaca a qualidade do traço artístico.
(C) implica a valorização da arte tradicional.
(D) indica a necessidade de inspiração concreta.
(E) preocupa-se com o realismo na obra.
_________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

QUESTÃO 29: O quadro produz um estranhamento em relação ao que se poderia esperar de um pintor que observa um modelo para sua obra. Esse estranhamento contribui para a reflexão principalmente sobre o seguinte aspecto da criação artística:
(A) perfeição da obra.                    (B) precisão da forma.                        (C) representação do real.
(D) importância da técnica.            (E) harmonia na forma.

QUESTÃO 30: (ENEM-2002) O autor da tira utilizou os princípios de composição de um conhecido movimento artístico para representar a necessidade de um mesmo observador aprender a considerar, simultaneamente, diferentes pontos de vista.

Das obras reproduzidas, todas de autoria do pintor espanhol Pablo Picasso, aquela em cuja composição foi adotado um procedimento semelhante é:


(A) Os amantes                               (B) Retrato de Françoise                    (C) Os pobres na praia
(D) Os dois saltimbancos                 (E) Marie-Thérèse apoiada no cotovelo


Pesquisar este blog

Seguidores